quinta-feira, 5 de julho de 2012

Poema de Amor sem nome!


Amo-te! E amo, de igual forma, a forma pouco formal com semicerras os teus olhos quando me beijas… nos meus sonhos!

Amo-te! E não encontro, nem desejo encontrar as razões e repostas para tal…pois seria explicar o amor, e isso, apenas o tornaria vulgar…

Amo-te! Respiro-te! Preciso-te! Sou de ti carente, um indigente sentimental, que apenas quer abrigo de amor, que te quer apenas e só por isso e para isso…para te amar…

Amo-te! Agrilhoado, algemado e de um nu muito despido… na alma e coração! Nu e no corredor do amor, contudo, feliz, porque assim tem de ser o amor, o verdadeiro amor, como sentença de perpétua prisão, ou tudo ou nada, menos do que isso…obrigado mas NÃO!

Amo-te! E amo de igual forma, a forma pouco formal como semicerras os teus olhos quando à noite, acredito eu, me deseja e amas... nos teus sonhos!

3 comentários:

  1. Lindo poema sobre o Amor.
    Muita inspiração.
    É um deleite ler os teus poemas.
    Bjs

    ResponderEliminar
  2. Sei que não sabes,
    Mesmo que queiras saber...
    Porque nem tu te abres,
    Naquilo que te queres saber!...

    Continuo lendo-te, e sonhando...
    Beijo

    ResponderEliminar